Policial - Um Ladrão Carente - - Crônicas Engraçadas e Cronicas Divertidas - Histórias Engraçadas

Tudo indicava que aquele dia seria um dia como outro qualquer. Ônibus lotado, trânsito lento como sempre. O ônibus parou no ponto e um homem subiu e ficou próximo ao motorista que, neste caso, acumulava também a função de cobrador.
Quando o ônibus passava por uma avenida pouco movimentada o ladrão aproveitou a oportunidade e anunciou o assalto. Todo mundo deveria passar o dinheiro e tudo que havia de valor e ninguém poderia olhar para cara dele não. Com a arma em punho ele foi fazendo à limpa, pegava os celulares, as carteiras e, dependendo da qualidade do artigo, ele não perdoava nem boné e nem tênis.
Quando ele já estava de saída, "finalizando o expediente", ele observou que uma senhora estava transportando no colo um pequeno bolo de aniversário:
- É bolo de aniversário dona? Perguntou o bondoso  e interessado rapaz.
- Sim senhor seu ladrão, é um bolinho de aniversário que eu estou levando para a minha sobrinha.
- A senhora sabe que eu nunca tive um aniversário. Com um ar de carente e desamparado, falou o triste rapaz.
- Não diga seu ladrão. Eu fico triste por você.
- Pessoal! Antes de eu ir embora eu quero ver todo mundo cantando um parabéns para mim. Quero ver todo mundo cantando com alegria heim! Tô de Olho em vocês! Disse o entusiasmado rapaz.
Nisso, com muita "energia e vibração", todos os passageiros começaram a cantar um "Parabéns para você” para o senhor larápio.
A senhora que estava segurando o bolo ficou tocada e muito emocionada com a triste história do rapaz que ela resolveu dar o bolo para ele, isso para compensar os aniversários que o meliante nunca teve. Ela era a pessoa mais animada entre todos e, com tamanha empolgação, foi ela quem iniciou o canto:
- "Parabéns prá você nesta data querida..."

No final do canto, para a surpresa de todos, ela toda empolgada emendou:

- ... É pique! É pique! É pique! É pique! É pique!
Para o seu ladrão nadaaaaa?
O pessoal, muito a contra gosto respondeu:
-Tudooooooooo!
E ela, no final, concluiu a singela homenagem:
- Seu Ladrão! Seu Ladrão! Seu Ladrão! Seu Ladrão!
Viva o seu ladrãooooo!


Edílson Rodrigues Silva

Qual é o nome dele - Histórias Engraçadas















- Ô Reginaldo como é que chama aquele cara fortão da academia que passa aqui na frente de casa todo dia à noitinha com aquele Pit Bull grandão? Eu ando tão isquicido? Disse o primeiro mineirinho.
- Senhorrrrr,  cupadi! O nome dele é Senhor!

 Edilson Rodrigues Silva

Uma máquina Incrível - Histórias Engraçadas



Um renomado cientista alemão inventou uma máquina espetacular. A tal máquina foi inventada para detectar e avisar a policia sobre a existência de ladrões nas proximidades.

Resolveram testar em Berlim. Um sucesso! Em menos de uma hora a máquina acusou mais de 10 suspeitos.

Testaram novamente em New York. Em 30 minutos a máquina acusou a presença de mais de 80 suspeitos.

Um novo teste foi realizado na china. Espetacular! Em menos de 20 minutos a máquina acusou a presença de mais de 2000 suspeitos. 

Em mais um teste realizado na Nigéria. Fantástico! Em menos de quinze minutos a máquina acusou a presença de mais de 5000 suspeitos.

Um último teste ficou de ser realizado no Brasil.

Incrível!
Impressionante!

Em menos de cinco minutos roubaram a máquina.


Edilson Rodrigues Silva 

A Caveira do Espelho - Crônicas Engraçadas e Divertidas - Histórias Engraçadas

Depois do jantar a diversão era sentar na varanda e esperar as estórias antigas que o tio Renato contava como ninguém. 
A criançada não sabia se as estórias que o tio contava eram de verdade ou não, mas eles gostavam de ouvir assim mesmo.
Conta o tio Renato que há muito anos atrás, lá na cidade, um homem ficou maluco e acabou sendo internado num hospital para loucos por causa duma história que aconteceu com ele.
Segundo o povo da cidade, todas às vezes que o homem ia se arrumar diante do espelho ele via um esqueleto bem atrás dele. Ele virava-se e não via nada. Com o passar do tempo o homem começou a ficar muito estranho e com muito medo de se olhar no espelho. Todas às vezes que ele tentava olhar, como uma segunda imagem, lá estava o vulto da caveira para atoementá-lo.
Aquilo foi tomando uma proporção tal que o homem passou a não fazer mais a barba, não cortar os cabelos e depois de um tempo ele não se olhava no espelho de jeito nenhum. 
O tempo foi passando e a situação só foi piorando. Meses depois, por causa do mal aspecto, ele perdeu o emprego e todos os antigos conhecidos se afastaram de vez. Ninguém mais se aproximava dele devido ao seu mau estado físico e mental.
O homem acabou virando um mendigo e foi ficando cada vez pior porque a caveira não o abandonou. Ora nos reflexos dos vidros dos carros, ora nos reflexos das vitrines, e até mesmo no reflexo duma poça d’água ele avistava a assustadora imagem.
Não deu outra. O homem ficou completamente doente e perturbado. Por causa disso, o prefeito mandou interná-lo numa casa de saúde. Depois de ouvirem a estória que o tio Renato havia contado, eles estavam muito assustados e bastante impressionados com a assustadora companhia da caveira do espelho. Enquanto eles se arrumavam para dormir, o tio completou:
- Criançada, vocês sabem muito bem que assombração não existe não é mesmo? Eu mesmo não acredito em nada disso. Tanto é verdade que um dia apareceu uma oportunidade para eu comprar o tal do espelho da estória, aquele mesmo onde a caveira aparecia para o homem e eu não pensei duas vezes. Comprei. Foi uma pechincha. O espelho é aquele que está lá quarto onde vocês vão dormir, acho que não tem problema não, né molecada?
Nunca se viu na história daquele sítio tanta criança dormindo na sala, era molecada que não tinha mais pra onde colocar. Por que será?

Edilson Rodrigues Silva

Emprego - Uma Situação Apertada - Cronicas mais Engraçadas e Divertidas - Histórias Engraçadas

Ele era eletricista e estava fazendo um serviço naquela escola de educação infantil. Num determinado momento ele teve vontade de ir ao banheiro para fazer a operação número dois. Para a surpresa dele o banheiro estava fechado e a chave estava com a professora responsável. Como a professora havia saído por uns instantes, se ele quisesse ir ao banheiro teria que esperar a professora retornar ou então usar o banheirinho das crianças do jardim de infância.
Ele esperou por uns minutos e, como a vaca já estava quase indo pro brejo, não deu mais pra controlar e ele teve que usar o banheirinho dos pequenos.
Enquanto ele estava ládos na mais alta concentração, no maior equilíbrio, na maior produção...
- Opaaa! Desculpa ai mano! Foi mal, não sabia que você estava aqui. Falou o colega dele que estava lá cuidando da parte de encanamento.
O encanador ficou muito surpreso ao ver aquele baita homenzarão sentadinho na privadinha das crianças. Meio sem jeito e envergonhado, o eletricista finalizou a delicada operação e foi embora passando pelo encanador sem nada dizer.
Nem precisa falar que na hora do almoço foi aquela gozação com a cara do eletricista. O encanador, um homem discretíssimo, só havia contado prá gaviões da fiel e para mais ninguém o que ele tinha visto. Assim que o eletricista chegou para almoçar um dos colegas que estavam lá no bar foi logo dizendo para o dono do bar:
- E aí Seu Mário? O troninho está livre? Olha que o reizinho acabou de chegar heim...

Edilson Rodrigues Silva

Garçom! Por favor... - Crônicas mais Engraçadas e Divertidas - Histórias Engraçadas

Fazia exatamente uma semana que ele estava na cidade do Rio de Janeiro. 
O irmão mais velho dele já estava bem mais  adaptado à Cidade Maravilhosa e, sem muita cerimônia, convidou ele para ir almoçar num restaurante japonês.
Mesmo sem conhecer o que o restaurante oferecia ele não marcou toca e logo aceitou o convite. O importante é que era o mano dele quem estava pagando e, se o irmão dele, que era enjoado pra chuchu, ia lá naquele restaurante, é porque o negócio alí era bom mesmo.
Ao chegar ao restaurante o atendente entregou ao irmão dele um cardápio. Com isso ele já ficou mais aliviado, pois como era o irmão dele quem conhecia do riscado, tudo estava em casa.
O irmão dele olhou..Olhou e depois de uns segundos fez o pedido:
- Garçom! Por favor, para mim um Sashimi.
- Ele por sua vez já preocupado com aquele monte de nome esquisito que ele estava vendo ali no cardápio e, não entendendo nada com nada, para não fazer feio, fez a opção em pedir alguma coisa que ele conhecesse. Ele resolveu pedir um prato bem simples,  o mais simples possível:
- Moço, pra mim o senhor pode trazer um comercial com o bife bem acebolado e bem passado. Disse ele, na certeza que o pedido dele não ia dar xabú.
Quando o garçom já ia para a cozinha para ver se ia dar para atender ao inusitado pedido...O estranho cliente completou:
- Garçom! Vê se dá pro cozinheiro colocar um ovo frito. Pede pra ele deixar a gema dura tá? Obrigado!...

Edilson Rodrigues Silva

Casamento, Uma chegada bem forte - Cronicas mais engraçadas e divertidas - Histórias Engraçadas

Ela ia se casar! Era incrível. Ela não estava acreditando que aquele dia, até que enfim tinha chegado. Depois de tantas batalhas. Ela teve que brigar com todo mundo por causa daquele que era o homem da sua vida. Apesar de viver numa cidade pequena, houve momentos em que ela teve que dar uma de maluca. Quando tratava-se de brigar por causa daquele homem, com ela não tinha cerimônia não. Não podia dar sopa que a caipirada – que de caipira elas não tinha nada - logo, feito formiga no açúcar, vinham dar em cima do homem dela.
No dia do casamento a família dela cuidou de tudo na medida do possível. Eles procuraram fazer de tudo para que o casamento fosse perfeito. Tudo estava muito bem organizado e seria espetacular. No entanto, quando foi à hora de entrar no carro do pai para ir a igreja, o velho opalão misteriosamente não deu partida de jeito nenhum. Tentaram fazer pegar no tranco e nada.
Foi aquela loucura. 
- E agora como é que nós vamos levar ela para a igreja? Perguntou um dos irmãos.
- Tem a charrete do seu Cardoso. Lembrou o outro irmão.
- Mas de charrete não vai dar tempo. Nós só chegaremos lá na igreja depois de meia noite. Comentou o um tio da moça.
- Então, vou falar com o compadre Vicente pra ver se ele leva a gente de carro ou empresta o carro dele prá nóis. Disse o pai.
Chegando a casa do Compadre Vicente:
- Compadre Vicente, o senhor pode levar a gente até a igreja lá na cidade?
- Ô compadre infelizmente não vou poder ajudar porque um dos meninos levou o carro para fazer um serviço lá na cidade e ainda não voltou. 
- Ai meu Deus! E agora como eu vou levar a menina na igreja? Vou correndo pedir a charrete do compadre Cardoso. Disse o pai.
- Olha compadre. Num sei se ajuda ou não, mas pode pegar o meu trator. Acho que ele é um poquinho mais rápido que os  cavalos do compadre Cardoso. Só tem um problema. Disse o compadre Vicente.
- Qual problema compadre?
- É que ele solta um pouco de fumaça! Ele é meio velhinho, mais é forte que nem touro e rápido que nem alazão.
- Num tem problema não compadre, a menina coloca um lenço no rosto e assim a gente vai chegar lá na igreja rapidinho. Brigado compadre! Deus abençoe o senhor! Vou pegar o trator.
- A noiva chegou na igreja com o rosto e o vestido sujos por causa da fumaça preta que saia do trator. Só a parte da boca e do nariz estavam da cor original da sua pele, graças ao lenço que ela usou para não respirar a fumaça preta.
Aquela sim tinha sido uma chegada forte e de impacto. O casamento dela foi muito comentado pelo povo e certamente não será esquecido tão rápido.

















 Edilson Rodrigues Silva

Uma Fera Dentro da Moda - Cronicas mais Engraçadas e Divertidas - Histórias Engraçadas















Eles resolveram dar uma passada rápida na casa da mãe dela para ver se estava tudo bem por lá. Eles chegaram e conversaram um pouquinho com ela e viram que ali estava tudo legal. Depois resolveram dar uma voltinha lá no shopping pra ver uma geladeira que há muito tempo eles queriam comprar.



Sabendo que eles iriam dar uma volta no shopping à mãe dela pediu para que eles dessem uma carona porque ela tinha que pagar umas contas lá no shopping Center.


Tudo certo! Ele Resolveu esperar pela sogra. Depois de uns minutos esperando a senhora se arrumar eis que para surpresa dele quem é que aparece lá na sala? Quem?


Ela! A querida sogrinha vestida com um vestido tipo tubinho com estampa de oncinha e um par de sandálias tipo gladiador. Ele não se conteve e começou a rir internamente. Se fosse uma garotinha vá lá, mas a sogrinha naquele modelinho guerreira caçadora foi demais. Ele não teve coragem de fazer nenhum comentário para não magoar e nem arrumar nenhuma confusão com a esposa dele, no entanto ele ficou imaginando a sogrinha passeando pelo shopping e os homens azarando ela:

- Oi minha fera selvagem!

- Grrrrauuu! Vem cá me pegar minha caçadora!

- Sou todo sua, vem me agarrar minha caçadora implacável!


Edilson Rodrigues Silva

Quem é o Homem mais Bonito? - Cronicas Engraçadas e Divertidas - Histórias Engraçadas















- Prá mim é o Brad Pitt! – Disse a primeira garota.
- O Brad Pitt já está coroa. Para mim, o maior gato da atualidade é Cauã Reymond aquele morenaço. Disse a segunda garota.

- Morenaço! Não sei aonde é que você viu algum morenaço ali. Para mim, morenaço de verdade só o Rai mesmo.

- Ah! O Rai. È mesmo! Ai vou ser obrigada a concordar com você.

- Espero que, hoje, aqui na recepção não tenha muito trabalho porque ontem aqui foi muito agitado, era gente entrando e saindo a toda instante, parecia até estação do metrô em horário de pico. Você sabe se já arrumaram o elevador de serviço?

- Que eu saiba ele ainda não foi consertado não, eles ficaram de terminar o serviço entre hoje e amanhã.

- È bom saber. Assim a gente pede para o pessoal da entrega pegar o elevador número 3.

- Olhaaaa! Nós estávamos falando de homem bonito olha só o gato que está saído daquele carro.

- Que homem é aquele. Que carrão, que presença, olha só o jeito de arrumar o blazer, arrumar os cabelos. Ele está vindo para cá! Passa o espelho! Rápido!


Elas ficaram ali super agitadas. Deram uma ajeitada no cabelo para não fazer feio. Assim que o homem passou pela porta de vidro elas deram um toque no uniforme para ver se estava tudo arrumadinho e alinhado. Ficaram ali esperando com toda a classe e com o maior e mais lindo sorriso do mundo. Assim que o Apolo entrou ele falou com uma das garotas:


- Bom dia! Por favor, eu gostaria de falar com o Senhor Cavalcante.


De repente elas começaram a dar risada bem baixinho. Aos poucos a risada foi aumentando e aumentando tanto a ponto do rapaz perguntar se havia algum problema. O rapaz olhava para a roupa dele para ver se havia alguma coisa, se estava de pijama, se estava com o sapato trocado. Não encontrou nada que pudesse despertar aquela reação cômica nas garotas.


Elas, ainda rindo, diziam que não havia nenhum problema com ele. Elas pediram desculpas pelo descontrole e explicaram que elas não estavam dando risada dele e sim de uma coisa que havia acontecido minutos antes dele chegar ali na recepção.


É claro que era uma desculpa. Elas não iriam dizer que estavam rindo por causa da voz fina e estranha que ele tinha. Elas foram pegas completamente de surpresa. Quem poderia imaginar que um homem maravilhoso daqueles pudesse ter uma voz tão esquisita como àquela.


Edilson Rodrigues Silva

Uma noite e tanto - Cronicas Engraçadas e Cronicas Divertidas - Histórias Engraçadas























- Aiiii! Minhas costas! A culpa é sua!


- Minha culpa! Por que minha?


- Você ainda pergunta.


Lá estavam os dois irmãos deitados e não paravam de se acusar. Um dizia que a culpa era do outro e coisa e tal, e pelo jeito do babado a conversa ia longe.


Tudo começou quando eles foram dormir. No começo estava tudo bem, entretanto depois de uns quarenta minutos:


RRRRRROOOONNNNCC!... RROONNNCC!... RRRRRROOOONNNNCC!...


Era o irmão que dormia na parte de cima do beliche que roncava mais que uma britadeira em mão de operário querendo mostrar serviço. O irmão que dormia na parte debaixo tentou resistir à terrível sinfonia durante bravos trinta minutos.


Mas o comportamento de monge budista havia dado lugar para o comportamento de um homem irritado com o insuportável barulho e ainda mais porque ele tinha que acordar cedo para ir para a escola. Na tentativa de fazer cessar a desagradável sinfonia ele deu uma pancada no beliche para ver se o irmão parava de roncar.


Funcionou! O irmão virou de lado e parou de roncar por exatos cinco minutos e depois voltou com a carga toda e força total:


RRRRRROOOOONNNNCC!... RRONNNCC!... RRRRRROOOOONNNCC!...


RROONNNCC!... RRRRRROOOOONNNCC!... RRRRRROOOOONNNNCC!...


Aí foi demais ele perdeu toda e qualquer paciência e lascou um chutaço no estrado do beliche de cima. O chute foi tão forte que o estrado saiu do lugar e o irmãozinho, o colchão, o estrado e tudo mais desceram feito jaca madura em cima dele e foram todos parar no chão, pois a cama de baixo do beliche não agüentou a superlotação e também arriou.


Com a cama quebrada os dois foram dormir no chão...


Edilson Rodrigues Silva

O Relógio Atleta - Crônicas mais Engraçadas e Divertidas - Histórias Engraçadas

Sempre que aparecia uma chance para ele fazer uma brincadeira com os amigos, ele logo colocava a imaginação para funcionar e bolava um jeito de gozar com a cara de todo mundo. Certa vez colou na calçada da faculdade três moedas de um real e chamou os colegas para ficarem lá só olhando e rindo quando às pessoas tentavam pegar as moedas que estavam colada no cimento.
Os colegas acabaram concordando com ele. A situação era engraçadíssima mesmo. A pessoa que olhava as moedas na calçada imediatamente abaixava-se e ia direto pegá-las, havia uns que até disfarçavam colocando primeiro o pé em cima da moeda como que dizendo: È minha, eu vi primeiro. Quando a pessoa abaixava-se para pegar a moeda, ela não acreditava naquilo que ela estava constatando, não podia ser: a moeda estava colada no chão, ela dava chute, forçava com a unha, tentava...tentava mais uma vez e nada. Não conseguia tirar a moeda da calçada.
Depois de algumas tentativas geralmente a pessoa saia de fininho e com ar de frustração. Geralmente ela ia andando e pensando: Será que não tinha mesmo um jeito de tirar aquelas moedas de lá? Depois de um tempo, como não conseguia uma solução para a situação a pessoa dava uma última olhada... É não tendo encontrado uma solução acabava indo embora.
Era assim, sempre que podia ele fazia alguma coisa para tirar uma casquinha da cara de alguém.
Num certo dia, quando ele ia passando por uma movimentada avenida, ele observou caído na calçada um relógio belíssimo. Rapidamente, feito o César Ciello deu um rápido mergulho em direção ao precioso artigo. Entretanto, para a sua enorme surpresa, o relógio começou a andar. Sim! É isso mesmo. O relógio, como que por mágica começou a andar, andar não. Começou a correr em direção a uma moita que estava próxima a calçada. Ele, sem acreditar que aquilo estava acontecendo com ele e, não se conformando com o relógio atleta, sai imediatamente atrás do fugitivo que ligeiramente somiu entre as folhagens de uma verdejante moita próxima a grade da escola.
Logo que o relógio sumiu arbusto a dentro ouviu-se do outro lado da grade um sonoro coro de jovens tiradores de sarro, eles davam altas risadas por conta do sétimo otário que, naquele dia, tinha caído na pegadinha deles.

Edilson Rodrigues Silva

O passeio da Tia Luzia - Crônicas Engraçadas e Divertidas - Histórias Engraçadas
















Já fazia muito tempo que ele tinha prometido para a tia Luzia que ele a levaria para passear de cavalo lá na fazenda onde ele trabalhava. A tia vivia falando que nunca tinha andado de cavalo e que ficaria muito feliz se o sobrinho pudesse ajudá-la a realizar aquele sonho.


Combinado! Ele acertou tudo com o gerente da fazenda e ficou marcado que ele levaria a tia Luzia e mais dois primos para passear de cavalo na fazenda no sábado de manhã.
O passeio não seria muito demorado, eles iriam até o ribeirão que ficava mais ou menos a uns cinco quilômetros da sede da fazenda e, depois voltariam por volta das onze horas. Ia ser um belo passeio, a fazenda era belíssima e bem conservada. Isto seria o suficiente para que a tia Luzia ficasse muito contente e realizada.

Ele separou um animal forte e manso. Ia ser um dia inesquecível. Ele organizou tudo e ia com o grupo para garantir que tudo corresse bem. Lá foram eles porteira adentro em direção ao ribeirão. Ele ia à frente, depois a tia Luzia e, no final, os dois primos. Quando eles passavam por uma parte onde o capim estava muito alto o cavalo dele bateu com a pata numa colméia de vespa que estava no meio do capim, os cavalos ao perceberem o alvoroço das vespas ficaram agitados. Ele conseguiu rapidamente controlar o seu cavalo, mas os outros, o da tia e dos primos ficaram descontrolados sendo que o da tia Luzia saiu em disparada pasto adentro.


Lá da picada só dava para ver a tia subindo e descendo do lombo do cavalo, ela subia e descia batendo com força o bumbum no lombo do cavalo, a cada batida Ela gritava era cada pancada que dava dó de ver e de ouvir também. Num certo momento ela se desequilibrou a ponto de quase cair do cavalo, só não caiu porque ela grudou no pescoço do alazão com força e conseguiu manter-se montada, ela ficou toda torta, mas pelo menos não caiu do cavalo.

Instantes depois o sobrinho chegou para acalmar o cavalo dela, com jeito ele conseguiu tranqüilizar o animal. Depois foi aquela dificuldade para fazer a tia descer do cavalo, ela estava cheia de dores por causa das pancadas na montaria.
- Tia, está tudo bem com a senhora? Com dificuldade e muito envergonhada, ela disse que a dentadura dela havia caído lá no mato.

- A senhora perdeu a dentadura lá no mato? Aonde?
 - Eu não sei,foi lá atrás!


Ele olhou o mato alto, colocou a mão na cabeça e pensou: E agora? Falou para os primos sobre o ocorrido e todos foram lá no mar de capim procurar a dentadura da Tia Luzia. Olha! O negócio estava complicado para eles. Fazia um sol de rachar mamona, as formigas e mosquitos picando prá valer, às mutucas então, estavam inspiradíssimas não erravam um alvo sequer... Como elas picavam doído. Já era quase uma hora da tarde e eles ainda estavam ali agachados e revirando todo aquele matagal e nada de encontrar a bendita prótese.

Quando eles já estavam perdendo as esperanças de encontrarem a dentadura um dos garotos, num momento de grande alegria grita:

Achei! Achei!

Ele pensou: Obrigado senhor! Que sorte que encontramos a dentadura da tia Luzia! Ele já estava bastante cansado, suado, cheio de coceira e de picadas... Ele pensou:
Que bom! Agora nós vamos almoçar. Que fome! Que fome!

Edilson Rodrigues Silva

O Álbum de Fotografias - Crônicas Engraçadas e Divertidas - Histórias Engraçadas

- Dona Juliana, Aqui na portaria tem um rapaz que veio entregar um álbum de fotografias. disse o porteiro.
- Seu José, por favor, peça para o rapaz subir. Obrigada!
- Marisa o rapaz das fotos já chegou! disse a mãe da garota.

- Já chegou mamãe! Nossa! Eles até que foram rápidos para preparar o álbum de fotografias do meu aniversário de quinze anos, a senhora sabe que o álbum da Giovanna levou quase um ano para ficar pronto.

- Esse pessoal trabalha muito bem. Foi indicação da sua tia Lurdes, bem que ela tinha comentado que eles entregavam as fotos bem rapidinho. Também, o interesse é deles porque quanto mais rápido eles entregarem mais rápido eles vão receber o dinheiro.

DIng! Dong! ...DIng! Dong!

-É ele!

- Bom dia meu jovem! Disse a dona da casa.

- Bom dia Dona Juliana! Aqui está o seu álbum de fotos. Por favor, veja se esta tudo em ordem.

-Claro! Vamos nos sentar.

-Aqui está. Espero que a senhora goste das fotos?

-Tenho certeza que foi um excelente trabalho, deixe me ver.

...

-Meu jovem! Deve estar acontecendo algum engano.

- Por que Dona Juliana?

- Quem são estas mulheres aqui?

-Como assim quem são? Não são as suas amigas?

-Claro que não! Imagina! Nunca vi essas mulheres nem mais gorda e nem mais magra, bem que eu acho difícil ser mais gorda que isso aí! Nem mesmo estou nestas fotos, e tem mais, as fotos não são minhas e sim do aniversário de quinze anos da minha filha Marisa.

- Marisa! Festa de quinze anos? Só um minutinho Dona Juliana parece que ocorreu um pequeno engano, deixe-me dar uma olhada aqui no álbum. A senhora tem razão! Olha só o que está escrito aqui:

Marisa Mesquita de Almeida - Chá de despedida do chefe do departamento de recursos humanos.

- Por favor, queira nos desculpar pelo engano. Vou verificar o que aconteceu e o mais rápido possível eu entrarei em contato com a senhora.

...


Edilson Rodrigues Silva

Emprego - Babás de gatinhos - Crônicas Engraçadas e Divertidas - Histórias Curtas e Engraçadas














- Cuidado! Escondam eles, a diretora vem vindo! Disse um do funcionários.
- Vem vindo? Então levem eles para o almoxarifado e coloque-os naquele quarto dos fundos até que ela vá embora. Todo mundo está careca de saber que ela não gosta de gato de jeito nenhum. Se ela pegar eles aqui, isso vai dar bode.  Completou a outra funcionária.
Isso acontecia desde quando os gatinhos tinham poucos dias de vida. Tudo começou num dia muito frio. Bem cedinho, ao chegar, um dos funcionários os encontrou dentro de uma caixa de sapato que estava na porta da frente da firma. - Bom Dia senhores! Tudo bem por aqui? Disse a diretora.
- Sim senhora! Por aqui está tudo ótimo e a senhora como está?

- Muito bem, Obrigada! Então, Já que estamos sem novidades? Excelente! Desejo a todos uma ótima semana e se precisarem de alguma coisa estarei na minha sala OK!...
Como eles Miavam!...Miavam feitos uns loucos. Para alimentar e cuidar dos quatro Bichanos, o pessoal fez uma vaquinha e compraram mamadeiras e um leite especial próprio para os gatos. 
Cada dia os gatinhos dormiam na casa de alguém, quando um não podia levar o outro levava. Eles foram cuidados com muito amor e carinho e assim cresceram muito alegres, arteiros e saudáveis.

Como mentira tem perna curta, quero dizer rabo curto, certo dia a diretora chegou de surpresa ao setor e eles, os gatinhos e os funcionários, estavam lá todos à vontade: Uma funcionária estava com um no colo, outro gatinho estava dormindo na caixa de entrada de documentos , o outro dormindo numa cama improvisada em cima do arquivo e etc.
Quando todos pensaram que a diretora ia passar um baita sermão ou coisa pior ela surpreendeu a todos e não reprovou a atitude dos funcionários, pois aquilo não estava atrapalhando o serviço. Assim, todos continuaram unidos e muito felizes.

No entanto, a notícia da permanência de coisas tão fofas no setor fez com que na empresa se levantasse um movimento de romaria até o setor e isso não estava sendo legal, então resolveram que os gatinhos teriam que ser transferidos dali. 
Cada gatinho foi para uma casa diferente e de tempos em tempos eles, os funcionários, se encontram para fazerem com que os irmãos se encontrem também.

Edilson Rodrigues Silva

Emprego - Despachante, Haja paciência... - Cronicas Engraçadas e Divertidas - Histórias Engraçadas





















Triiimmmmmmm! Triiimmmmm!

- Alôôôôôôôô! 
 

- Por favor o Senhor Leitão? 
 

- Aqui não tem nenhum Senhor Leitão Não. Quem está falando? O senhor quer falar com quem?

- Eu quero falar com o Senhor Leitão.

- Já disse para o senhor que aqui não tem ninguém com esse nome.

- Não tem?

- Não!

- Então porque tem um porco na linha... Tu! Tu! Tu! Tu! Tu! Tu! Tu!

Filho da mãe! Só me faltava essa agora, ter que ficar agüentando esses vagabundos me enchendo o saco com esses trotes.

Depois de um tempo.....

Triiimmmm! Triimmmm!

- Alôôôôôôôô!

- Senhor Jonas, O senhor vai mandar o Crepusculo para a feira hoje?

- Crepusculo? Que Crepusculo? Aqui não tem nenhum Crepusculo e eu não sou o Jonas não.

-Não?

-Não!

- Aí não é do haras Boa Vista?

-Não! Não é!

- Doutor! Só uma pergunta:

- Pois não?

- Então porquê tem um filho duma égua na linha? Tu! Tu! Tu! Tu! Tu! Tu! Tu!

- Agora vou ter que ficar agüentando esse idiota! Será que esse pessoal não tem nada para fazer na vida não?

Minutos depois...

Triiimmmm! Triimmmm!

- Fala seu idiota! O que é que você quer agora? Vai ficar aí o dia inteirinho me enchendo o saco? Você não tem vergonha na cara não? Olha, se você...

- Dona Marli? Mil desculpas! É que tem um idiota me perturbando a manhã inteirinha...

- Francamente Seu Jorge! Isso são modos de atender uma cliente antiga...?

- Perdão Dona Marli! A renovação da carteira de motorista da senhora já está pronta... É só a senhora trazer..E o carro preto novo está tudo bem ele?

LEIA TAMBÉM :
E AI MANINHA TUDO LEGAL
http://recantodacronica.blogspot.com/2009/10/e-ai-maninha-tudo-legal.html


Edilson Rodrigues Silva

No parque, Que Visão Maravilhosa - Crônicas Engraçadas e Divertidas - Histórias Engraçadas

 
A turma toda comemorou aquela conquista, todos estavam bem cansados por causa da caminhada. Agora, era só descansar e aproveitar a linda visão da cidade. Estavam lá os dois pombinhos sentados na enorme pedra de onde dava para ter uma extraordinária visão da metrópole.
O dia estava maravilhoso, um sol lindo, um céu limpo e uma visão esplendorosa da grande São Paulo, não podia  ser melhor, também pudera, para chegar ali na Pedra Grande não era fácil não. Quem já visitou o Parque da Cantareira sabe que para chegar lá tem que caminhar e, caminhar bastante, tanto na ida quanto na volta, pois não é permitida a entrada de veículos. Tem que ser na raça, tem que gastar a sola do sapato.
Mas não importa o sacrifício pois, todo o esforço era recompensado pela linda vista da cidade. São Paulo ficava tão diferente, tão distante, nem parecia a Grande metrópole que a gente conhecia. Muitas pessoas nem imaginam que é possível ter aquela visão de São Paulo. Ver a cidade dali é uma experiência muito interessante e ao mesmo tempo surpreendente.
Depois de mais ou menos uns quatro quilômetros de caminhada morro acima lá estavam eles sentados na Pedra Grande apreciando a exuberante visão, o esforço estava sendo devidamente recompensado. Ele sentado, todo a vontade, só de meias, ela deitada com as costas na pedra e com a cabeça no colo dele, estava tudo legal, um dia lindo, muito sol e havia uma brisa refrescante e gostosa.
Mais tarde, quando ele foi levantar-se ele deu uma desequilibrada e esbarrou num dos pés do tênis que imediatamente começou a rolar pedra abaixo, ele tentou pegar, mas não conseguiu porque a pedra era muito inclinada. O calçado foi rolando, rolando, bateu numa saliência e voou sobre o alambrado e sumiu mata adentro. Eles não estavam acreditando que aquilo tinha acontecido. Se eles contassem ninguém iria acreditar que ele tinha sido capaz de dar um azar daquele.
Nem mesmo os colegas que estavam lá acreditaram, eles pensaram que fosse uma pegadinha, uma brincadeira qualquer. Depois que eles verificaram que se tratava de um caso verídico eles gozaram muito com a cara dele. O fato é que o tênis não dava para ser recuperado porque ele havia caído num lugar de difícil acesso, o jeito foi voltar descalço mesmo.
Andar descalço de vez em quando pode até ser bom para a saúde e coisa e tal..., mas andar quatro quilômetros pisando em pedras, galhos e no asfalto quente. Ninguém merece!

Edilson Rodrigues Silva

O Bolão da Alegria - Crônicas Engraçadas e Divertidas - Histórias Engraçadas


O telefone tocou e do outro lado da linha uma moça solicitou que ele fosse até a empresa dela para pegar uma encomenda e depois fazer a entrega num parque de diversão que estava sendo montado num bairro mais distante.


Ao chegar ao local onde ele tinha que retirar a encomenda a ser entregue a mulher foi logo mostrando um volume enorme e bem diferente de tudo que ele já tinha visto na vida. Na hora, ele não acreditou, pensou até que fosse alguma brincadeira, alguma pegadinha de algum programa de Tv, deu um sorriso assim meio sem jeito e pensou: é cada coisa que acontece comigo.


Há muito tempo ele fazia entregas e carretos com aquela Kombi de carroceria. Ele já havia transportado cada coisa estranha. Certa vez teve que levar um papagaio que falava mais que a dona dele, lá na vinte e cinco de março. Outra vez levou para o zoológico um casal de gambás que um jardineiro havia capturado no jardim da casa do patrão. Enfim, ele Já havia transportado tanta coisa...


O fato é que, ele estava lá para trabalhar e necessitava muito do dinheiro daquele trabalho, tinha umas contas para pagar e elas já não podiam mais ser adiadas. só existia uma solução: ou ele aceitava ou ele aceitava.


A encomenda que ele teria que levar era um volume bem grande de bolas de plástico – aquelas bolas enormes e bem coloridas que a gente ganha de brinde em parques de diversão. O pacote, que estava amarrado com um tipo de barbante, era muito volumoso era quase duas vezes o volume da carroceria da kombi.


Como a carroceria era aberta isto iria facilitar bastante, se ele amarrasse direitinho o grande volume daria para levá-lo sem maiores problemas. Mas que era estranho era. Ao mesmo tempo era também divertido, por onde ele passava dava para observar a alegria das pessoas e, principalmente da criançada, quando elas olhavam tantas bolas enormes e tão coloridas. Se ele colocasse umas musiquinhas do Balão Mágico ou da Turma da Xuxa, aí que ia ser uma alegria total.


Quase chegando ao local da entrega, quando ele passava por uma rua do bairro da periferia a Kombi cruzou com uma linha que tinha serol – aquela linha com cortante que a molecada usa para cortar a pipa do amiguinho, com um amiguinho desse quem é que precisa de inimigo né?– por causa da velocidade do carro, o efeito cortante foi ampliado e Isso foi o suficiente para romper com o barbante e soltar as bolas que estavam no pacote.


A rua era levemente inclinada, ele estava subindo. Parte das bolas que saiam do pacote, desciam rua abaixo dando cada salto, Ele demorou um pouco a perceber o que estava acontecendo, na verdade ele só se deu conta quando começou a ouvir a gritaria do povo na rua, foi ai que ele olhou pelo retrovisor e viu aquele monte de bola pulando lá atrás...


Encostou o carro, segurou as bolas que ficaram no pacote sob a carroceria, olhou rua abaixo e viu que a criançada e os marmanjos estavam correndo atrás das bolas e quando as pegavam saiam correndo para a casa deles . O pessoal da vila ficou numa alegria muito grande, só estando lá para ver.


E agora, pensou ele. Como recuperar as bolas que caíram? ...ia ser muito difícil...


Com o que restou daquela divertida entrega, pelo menos para o povo foi. Ele, completamente confuso, sem saber direito o que havia acontecido. Inconformado... Seguiu rumo ao parque de diversão.


Edilson Rodrigues Silva

Um Ataque Terrível - Cronicas mais Engraçadas e Divertidas - Histórias Curtas e Engraçadas


















Ela sempre gostou das saias indianas, mas agora com a novela Caminho das Índias da Rede Globo de televisão ela passou a gostar não somente das saias, mas também de outras peças que faziam parte da interessante moda indiana.



Assim que ela teve a oportunidade, sem pensar duas vezes, ela comprou uma calça indiana modelo envelope. A calça tinha a barra tão cumprida que ás vezes, dependendo do calçado que ela usava, ficava raspando no chão. Era meio estranho, mas ela gostava daquela barra que ficava esvoaçante e balançava ao menor contato com o vento.


Ela passou na padaria, comprou um chocolate e depois foi para o ponto de ônibus. Enquanto ela estava esperando o coletivo ela teve uma surpresa inesperada. Como estava ventando um pouquinho à calça dela estava balançando, isso chamou a atenção de um fofíssimo bebê gatinho que era da casa que ficava na frente do ponto de ônibus. Pela grade o bichano ficava olhando o balanço da barra da calça dela . Ele esticava a patinha e batia de leve, dava aquela agachadinha, aquela reboladinha e finalizava com um feroz e preciso ataque contra a barra da calça.


Enquanto o ônibus não chegava ela ficou ali se divertindo e observando os terríveis ataques daquela perigosíssima criatura.


Edilson Rodrigues Silva

Um Ombro Amigo - Crônicas Engraçadas e Divertidas - Histórias Engraçadas



















Como se já não bastasse o estresse de todo dia pegar aquele ônibus lotado ainda ela tinha que agüentar cada uma. Ela estava sentada no lado do corredor e do outro lado do banco, na janela, tinha um cidadão que estava morrendo de sono. O motorista estava indo com tudo. quando o ônibus fazia a curva para direita o cara ia prá janela, curva prá esquerda ele deitava a cabeça no ombro dela. Só me faltava essa. Ninguém merece! Pensou ela.
Isso foi acontecendo durante uns quinze minutos até que ela começou a pensar num jeito de se livrar do desagradável dorminhoco sem arrumar briga, porque prá arrumar barraco em ônibus cheio basta estar lá, nem precisa fazer muito porque quando menos se espera lá está a confusão.
E assim foi. Curva prá lá e curva prá cá. Breca e vai, vai e breca. A mesma ladainha de sempre e o homem lá: Indo de um lado para o outro.
Ela pensou assim: logo que o ônibus começar uma curva para a esquerda ela vai se levantar e o dorminhoco que pensa que ela é o travesseiro dele, vai cair no banco e quem sabe assim ele se toca que está sendo muito desagradável.

Ela esperou um pouco e pimba! Logo que começou a curva ela se levantou e o cara veio que nem árvore cortada e plooft! Caiu com a cabeça naquele ferro que tem para descansar o braço. Ela deu uma ajeitadinha na roupa, deu uma disfarçada olhando alguma coisa lá na rua e depois olhou para o sujeito que, agora bem mais acordado e com um pouco de dor de cabeça estava bem mais alerta.


Edilson Rodrigues Silva

Duro de comer ...- Crônicas Engraçadas e divertidas - Histórias Engraçadas















- Vai filhinho come pelo menos o bife. se você não comer logo eu vou chegar atrasada no meu emprego e se isso acontecer o meu chefe vai brigar comigo.
- Não!Respondeu o compreensivo garoto.
- Então, come só um pouquinho do arroz e do feijão?
- Também não!
- Ai meu Deus! Eu não sei mais o que eu faço para você comer. Já tentei de tudo. Quer um danoninho então?- Não!

- Se você não comer eu não vou deixar você assistir ao desenho do pica-pau.

- Não vai?

- Não!

- Eu nem ligo tá. Eu num quero mesmo assistir o pica-pau.

- Quero ver se você vai comer ou não? Se você não comer agora eu vou chamar o monstro da cosquinha.

- O monstro da cosquinha não!

- Se você não comer vou chamar sim!

- Não vai não.

- Vou sim! Estou indo lá...

- Ô mãe, dá um bifinho prá mim.

- Só um filhinho? Não quer um pouquinho de arroz e de feijão também?

- Só um pouquinho tá mãe.

- Tá bom meu anjinho.



Edilson Rodrigues Silva

O Queijo Estragado - Crônicas Engraçadas e Divertidas - Histórias Engraçadas

O cliente chamou o garçom para reclamar:
- Garçom, eu não quero esse queijo ele está com um cheiro muito ruim. Certamente ele está estragado. Que queijo é esse? É o Podrelone ou o fedolão?
- Não pode ser senhor. Recebemos este lote de queijo essa semana é um lote novo. É produção recente.
 - Pode até ser um lote novo, mas é um lote novo estragado porque o cheiro está horrível. Dá só uma cheirada aqui para o senhor ter uma ideia do que eu estou falando. O garçom cheirou e constatou que o odor da porção de queijo estava normal.
- Senhor, como eu havia dito anteriormente o odor desse queijo está completamente normal, deve estar ocorrendo algum mal entendido. Pensando em preservar o restaurante de qualquer problema com a vigilância sanitária o garçom foi chamar o gerente.
 O gerente verificou todos os detalhes. Não encontrando justificativa convincente para expor ao cliente e não vendo por onde contestar a reclamação, pois era um cliente antigo e, como todos sabem: o cliente sempre tem razão.
Sendo assim, ele resolveu anotar os dados do senhor para depois lhe enviar o parecer da fábrica de queijos.
Enquanto ele anotava as informações a sua caneta caiu. Ao abaixar-se para pegá-la, o gerente observou na mesa ao lado uma cena muito, muito reveladora. O gerente levantou-se e foi em direção ao cliente que estava na mesa ao lado e disse:
- Senhor! Por gentileza, o senhor poderia calçar os seus sapatos?


Edilson Rodrigues Silva

Elias o Grande Pescador - Cronicas mais Engraçadas e Divertidas - Histórias Curtas e Engraçadas

- Depois que o barco contornou a ilha foi muito legal o capitão avistou um grande cardume e resolveu parar ali porque ele viu que naquele lugar a pescaria seria um grande sucesso. O capitão tinha razão. Aquele dia entrou para a nossa história. Aquela pescaria foi maravilhosa, nenhuma outra turma de pescadores da companhia jamais pegou tantos peixes quanto a nossa equipe.
O Elias estava contando vantagem em cima de vantagem sobre a grande pescaria. O amigo, sem falar nada, ficou ouvindo atentamente o amigo contar sobre a fantástica pescaria que ele, ativamente, havia participado.
Instantes Depois, o colega que tinha ouvido o Elias contar sobre a grande pescaria, encontrou com outro companheiro de trabalho que também havia participado da mesma pescaria, ele foi logo dizendo para este outro colega:
- Eu ouvi dizer que essa última pescaria foi muito boa e que vocês pegaram muitos peixes. O Elias disse que todos voltaram para casa com pelo menos uns vinte quilos de peixe cada um. Que maravilha! Desta vez a pescaria foi boa mesmo não foi?
- Elias! Que Elias? Disse o outro colega.
- Ô Elias lá da manutenção. Você não o conhece?
- Elias! Elias! É um rapaz baixinho e moreninho que tem uma marca no queijo?
- Isso! É ele mesmo!
- Elias! Quer dizer que ele falou que participou da pescaria e que pegou peixes também?
- Sim! Ele falou. Não foi isso que aconteceu?
- Claro que não! Este tal de Elias assim que subiu no barco ficou logo enjoado, vomitou muitas e muitas vezes, ele quase colocou os bofes prá fora. O cara ficou mal pra caramba e depois de uns vinte minutos tivemos que voltar para o porto só para deixar o fracote lá. O cara só atrapalhou a nossa pescaria, nós perdemos um tempo precioso só por causa dele.
- E os peixes que ele falou que pegou?
- Ora bolas! Os peixes, no final da pescaria, nós costumamos dividir tudo em partes iguais entre todos que foram para a pescaria. É por causa disso que ele levou os peixes. Só por causa disso.
- Sei! Sei! Disse o colega que tinha ouvido o fantástico relato do grande Elias.

Edilson Rodrigues Silva

COMO SER FELIZ

MENSAGENS DE ANIVERSÁRIO

CRONICAS MAIS POPULARES

Translate

CURSOS GRATUITOS