O que significa isso? Texto curto e engraçado


O marido dela havia ligado e, depois de dizer que o assunto era urgente, ele pediu para que ela voltasse mais cedo da Escola. Assim que ela chegou da faculdade já começou a chateação:

- Mariana! Que palhaçada é essa! Meu o que significa isso? Muito nervoso, perguntou o marido da moça mostrando para ela um buquê de rosas vermelhas que fora entregue instantes depois que ele tinha retornado do trabalho.

No cartão que acompanhava o belo buquê de rosas estava escrito:

“Má, estas lindas flores são somente para te lembrar que eu te amo De ++++++++. Beijos minha delícia!”

- O que é isso? Eu que o diga. Amauri, eu não tenho nada a ver com isso. Você sabe muito bem que eu não gosto desse tipo de desconfiança. Que brincadeira de mau gosto é essa? Estranhou a jovem.

- Brincadeira de mau gosto digo eu! Como se não bastasse essas flores como prova eu ainda sou obrigado a agüentar essa falsidade toda. Disse inconformado o homem.

- Amauri! Você não está vendo. Falou a esposa.
- Vendo o que? Eu só estou vendo a sua cara de pau. Como é que você pode ser tão sem vergonha assim? Pô meu! Eu sempre fiz de tudo para você e a senhora me dá uma facada dessas. Desabafou o transtornado Amauri.

- Mauri! Mauri! Olha bem! Isso só pode ser uma brincadeira. Aposto que isso é mais uma daquelas armações de mau gosto que o seu irmão costuma fazer. Você já ligou para ele? 

- Mariana! Não muda de assunto não! Não vem querer me enrolar porque eu não nasci para isso. Pode ir abrindo o bico. Quem é o safado? É alguém da firma? É alguém do futebol não é? Você tá saindo com o cafajeste do Alberto não é? Eu bem que desconfiava... Olhares pra cá... Olhares prá lá... Como eu pude ser tão inocente? Eu vou acabar com esse Alberto! Extremamente nervoso, falou o marido da mulher.

- Amauri! Eu estou muito decepcionada por você não acreditar em mim. Eu pensei que pelo menos o meu marido me conhecesse de verdade, mas estou vendo que não é nada disso. Reclamou a mulher.

- É! Eu é que pensei que conhecia a minha mulher quando na verdade eu estava morando era com uma estranha... Tééééée´!...Tééééée´! Enquanto o marido ainda falava a campainha do apartamento tocou.

- O que éééé! O marido foi educadamente atender a porta.

- Bem... Boa noite Seu Amauri! Queira me desculpar o incomodo, é que eu percebi que aquele porteiro novo que fica à tarde acabou entregando errada uma encomenda aqui no apartamento do senhor. O senhor recebeu um arranjo de flores não recebeu? Perguntou o porteiro.

- Recebi sim! Respondeu o homem

- Pois é! O rapaz é novo. Ele entregou errado. As flores são para a Dona Mariana do bloco B. É um arranjo muito bonito não é seu Amauri? Só entre nós: Esse namorado dela é caidinho por ela. Também, bonita e cheia da grana como ela até eu que sou mais bobo coloco o Don Juan no bolso. Brincou o porteiro. Ele é desses namorados super romântico que as mulheres gostam. Continuou o funcionário... Eu já estou até acostumado. Quase toda semana ele manda flores para ela. Esse cara é um verdadeiro amante à moda antiga. Bem! ...Seu Amauri, boa noite! Espero não ter aborrecido o senhor com esse engano. Comentou o porteiro.

- Mariana do bloco B!...Não! Está tudo bem Seu Antônio. Olha, aqui está o arranjo obrigado viu. Tchau!...Boa noite!...Passar bem! Disse o, agora, atencioso e educado marido.

Certamente, aquela noite não ia ser nada romântica para ele.

Edilson Rodrigues Silva

É o senhor sim! Histórias divertidas


Ele estava ali no hospital esperando o resultado de um exame que a filha dele acabara de fazer. Ele e a garota se sentaram nas cadeiras que ficavam próximas a recepção e ficaram ali esperando a moça chamar.
Nisso passou por eles uma senhora de idade que estava acompanhada da filha dela. A senhora idosa parou e ficou olhando atentamente para ele. Depois ela o cumprimentou:
- Oi Tudo bem com você meu filho? Está gostando de lá?
Ele, muito surpreso com a fala da senhora, ficou sem saber o que falar. Ele ficou mesmo é sem jeito porque ele não conhecia aquela idosa e muito menos sabia do que ela estava falando. Para a conversa não se prolongar, ele resolveu ser simpático.
- Ah! Sim. Comigo está tudo bem. Eu estou gostando muito de lá. Respondeu o homem.
- Viu filha! Eu falei pra você que ele não era nenhum vagabundo como você falava. Eu disse que ele era honesto, bom caráter, boa pessoa e que tudo aquilo que o povo estava falando dele, que ele é burro, um tapado, um analfabeto, um ignorante era só mentira e intriga da oposição.
Apesar dele estar bem mais barrigudo do que ele era, eu continuo acreditando que ele é uma boa pessoa. Comentou a idosa.
Ele, ainda sem saber quem era a idosa e muito menos do quê ou de quem ela falava, foi somente sorrindo e concordando com a cabeça.
De certa forma ele ficou curioso e ao mesmo tempo orgulhoso, pois se aquela senhora tinha confundido ele com alguém que ela conhecia é porque ele deveria ser bem parecido com aquela pessoa cheia de qualidades e virtudes da qual ela estava falando. Tirando é claro a parte da barriga.
Enquanto ele ainda pensava isso a moça da recepção chamou à idosa.
- Filha! Pega aí o autógrafo do palhaço. Eu gosto muito dele. Acho que vou dar o autógrafo dele para o Lucas. Falou a vovó.
- Minha senhora, deve estar havendo algum engano. Eu não sou nenhum palhaço. Reclamou o homem.
- É sim! O senhor é aquele político palhaço. Reafirmou a idosa.
- Senhora, eu não sou palhaço e nem político. O meu nome é Silvio D. de Almeida. Eu sou professor. Corrigiu o homem.
- É o senhor sim! Não tente me enganar meu filho! O senhor é aquele palhaço da política sim... Como é mesmo o nome dele filha? Perguntou à idosa.
- Quem mãe? O  Tiririca? Perguntou à jovem.
- isso! É esse mesmo. Eu o reconheceria em qualquer lugar. Eu adoro o senhor. Dá para o senhor cantar aquela musiquinha prá mim? Eu gosto tanto dela. Perguntou à idosa.
Até hoje a filha do homem dá risada do acontecido.

Edilson Rodrigues Silva

Patrão, eu estou falando a verdade – Histórias engraçadas


- Ô Fagundes, você não está esperando que eu acredite nessa história? Francamente! É ruim heim! Disse o chefe do homem.
- Chefe! É verdade. Aconteceu exatamente isso que eu estou falando para o senhor. Reafirmou o funcionário.
- Quer dizer que o senhor não veio trabalhar ontem porque, à noite, um sujeito resolveu entrar no seu carro e, mesmo estando lá um rádio, uma caixa de ferramentas novinha, óculos de sol e outras coisas, ele só levou o volante do veiculo. O que é isso? Ô Fagundes, você poderia ser mais criativo. Um ladrão que rouba o volante do carro? Mesmo que isso fosse verdade o que é que um meliante ia fazer com um volante?  É cada uma que a gente tem que ouvir. Reclamou o inconformado chefe.
Fagundes, você vai me desculpar, mas eu nunca ouvi uma desculpa tão esfarrapada como essa. Por acaso o volante do seu carro era de grife, era de ouro ou coisa parecida? Questionou o superior.
- Não Chefe! O volante do meu carro era um volante comum. Era como todos os outros, ele não tinha nada de especial. Eu também não entendi o que aconteceu. Eu só sei que eu cheguei para pegar o carro para trabalhar e o volante não estava lá.
Eu até pensei eu era pegadinha da TV. Olhei de um lado, do outro e nada de câmeras, foi aí que, infelizmente, eu acabei me convencendo de que eu tinha sido realmente roubado. Mais tarde eu consegui comprar um volante usado. 
Eu não julgo o senhor não. Não é só o senhor que não acredita nessa história. Eu também não acreditei. Aliás, eu não estou acreditando até agora. Justificou o Fagundes.
- Olha Fagundes, a gente já se conhece há mais de quinze anos. Eu vou fingir que acredito nessa marmelada de Itú e assim fica tudo bem. Ok!
No dia seguinte de manhã o telefone tocou:
- Fagundes, eu lhe devo desculpas. Disse o chefe.
- Imagina chefia. Está tudo bem.
- Deixa eu te perguntar uma coisa. Falou o chefe.
- Pois não senhor.
- Aonde você comprou o volante usado?...Por favor, pede para a dona Marilda entrar em contato com o pessoal da firma de bombas e transferir a reunião de hoje para amanhã...

Edilson Rodrigues Silva

Atravessando o rio – Textos pequenos e divertidos



















Um boiadeiro que era recém chegado numa determinada região, ao se aproximar de um rio que ele ainda não tinha atravessado ficou na dúvida se era ou não possível fazer com segurança a travessia da boiada.

Para sorte dele, perto dali, estava sentado numa porteira um garoto que parecia ser ali da região.

- Hei garoto! Esse rio é muito fundo? Perguntou o peão.

- Moço, o meu pai passa toda a criação dele por esse rio. A criação passa com a água no peito.

Diante da declaração positiva o boiadeiro se encheu de coragem e segurança e começou a fazer a travessia da boiada.

Assim que o gado começou a romper as água do rio alguns animais, mesmo nadando com muita força, acabavam sendo arrastados pela correnteza.

Completamente assustado o boiadeiro reclamou com o menino:

- Ô moleque! Que tipo de gado o seu pai cria? É daquele gado gigante, o zebu?

- Não moço! O meu pai tem uma criação de patos.

Edilson Rodrigues Silva

Uma viagem muito rápida – Postagens curtas e engraçadas














No aeroporto do Rio de Janeiro, depois de um atraso de mais de 48 horas num vôo entre Belém do Pará e Rio de Janeiro:

- Boa tarde! O Senhor também estava neste vôo que chegou agora de Belém do Pará? Esse vôo chegou bem atrasado não foi? Perguntou o repórter.

- Tava sim. É a primeira vez que eu viajo de avião. Respondeu o Senhor Idoso.

- Puxa vida! É a primeira vez que o senhor viaja de avião. Que aborrecimento heim. Logo de cara o senhor já deu um azar desses. O que é que o senhor está achando do transporte aéreo no Brasil.

- Bem, agora eu só acho uma coisa... Bem que tinha comentado com a patroa que esse negócio de viajar de avião não ia dar certo. No começo eu até estava pensando em vir de cometa, mas ela achou que seria uma desfeita pra filha e coisa e tal...

- Quer dizer que o senhor deixou de viajar de ônibus só para poder viajar de avião... Interrompeu o Jornalista. O senhor acha que valeu a pena? Perguntou o repórter.

- Claro que não! Eu não tenho a menor dúvida: se eu tivesse vindo com o meu jeguinho cometa eu já tinha chegado aqui há muito tempo meu filho. Respondeu o idoso.

Edilson Rodrigues Silva

Chorando de barriga cheia – Textos curtos e engraçados














Era final de tarde. Um jovem estava de passagem por uma grande praça no centro da cidade quando ele passou diante de um banco onde estava sentado um homem muito bem vestido e que chorava desesperadamente.

Comovido com aquela dolorosa situação o jovem resolveu conversar um pouco com o triste, mas distinto cavalheiro.

- Senhor! O que foi que aconteceu? É alguma desilusão amorosa? É algum problema em casa? A sua esposa o abandonou? Os seus filhos estão bem? Perguntou o empático moço.

- Não meu jovem! Eu tenho uma esposa linda, meus filhos são maravilhosos. A minha esposa me ama demais e eu também a amo loucamente. Os meus filhos são os melhores filhos que um homem poderia querer. Respondeu o inconsolável homem.

- Então só pode ser por motivo financeiro. A empresa do senhor faliu e o senhor está na miséria. É isso? Perguntou o interessado jovem.

- Também não meu rapaz! Eu tenho muitas empresas e elas, além de me darem muita alegria, me dão um lucro espetacular. Tenho ainda muito dinheiro investido em minas, em poços de petróleo, possuo muitos imóveis e fazendas... Enfim! Eu sou um homem muito rico. Esclareceu o enigmático senhor.

- Puxa vida! Quantas e quantas pessoas não possuem nada disso que o senhor tem e que, ainda sim, são extremamente felizes. O senhor deveria se envergonhar disso. Quantos não gostariam de estar aí no lugar do senhor e o senhor fica aí chorando e se lamentando. Francamente! O senhor não tem vergonha de ficar assim, chorando de barriga cheia? Perguntou o inconformado rapaz.

- Eu sei meu jovem! Eu sei de tudo isso! É por isso que eu choro. Eu não consigo me lembrar onde eu moro. Explicou o homem.


Edilson Rodrigues Silva

Eu não falei... - Histórias curtas e engraçadas


Numa cidade do interior:

Eram mais ou menos umas duas horas da madrugada quando o homem retornou de uma pescaria em alto mar onde ele e alguns velhos amigos haviam participado.

Assim que ele chegou próximo ao portão da casa ele estranhou aquele volume de cor escura que estava bem próximo ao portão da garagem dele. Ele foi se aproximando bem devagar para ver o que era aquilo. Ao se aproximar mais o coração dele disparou quando o tal do volume deu uma mexida e ele pode ver que, na verdade aquilo ali era um baita de um jacaré. Ele nunca levou um susto tão grande.

Imediatamente ele entrou em casa, como já era madrugada, todos já estavam dormindo. Ele acordou a esposa dele:

- Mulher! Mulher! Você não vai acreditar. Disse o homem.
- Ahhhhh! Oi amor! Fez boa viagem? Como foi a pescaria?
- Mulher! Tem um jacaré na frente da nossa casa. Falou agitadamente o homem

Como aquela região não era região de jacaré e nunca ninguém ali tinha ouvido falar de que alguém tivesse um animal daquela espécie, a mulher, ainda cheia de sono, respondeu:

- Ahh! Jacarééé... Milton! Você voltou a beber? Você prometeu para as crianças que você não ia beber mais. Eu falei que esse negócio de pescaria não ia te fazer bem... É tudo culpa das más companhias. Parece até que eu já sabia. Oh Milton! Você estava indo tão bem... Por quê? Você parou para pensar no que a mamãe vai falar. E o pessoal da igreja. Que vergonha Milton!... Desabafou a mulher

- Ô mulher! Não é nada disso não, vai lá fora dar uma olhada para você ver do que é que eu estou falando. Falou o homem.

Nisso a mulher foi. Ela foi só por ir mesmo. Ela sabia muito bem que, quando o Milton bebia ele não falava coisa com coisa. Ela já estava acostumada. Foram anos e mais anos de desculpas esfarrapadas e histórias mirabolantes que só existiam mesmo na cabeça doente do marido dela.
Ela saiu de casa e foi em direção ao portão da garagem. Instantes depois ela voltou gritando muito alto:

- Miltooooooon! Miltonnnnn! Aíiiiiiii! Tem um jacaré enorme lá fora homemmm!

- Ué! E não era isso que eu estava tentando falar pra você até agora. Disse o marido da mulher.

Os policiais foram chamados e, depois de uma enorme confusão, eles conseguiram enfim capturar o réptil.
Mais tarde a Polícia Ambiental explicou que, não se sabe como o animal foi parar lá, mas que era muito provável que aquele jacaré pudesse ter vindo de uma lagoa que ficava próxima a casa deles.

Edilson Rodrigues Silva

A família em primeiro lugar – Postagem curta e engraçada



















- Quer dizer que foi o senhor quem roubou a loja de material de construção no sábado? O senhor roubou furadeiras, serras, parafusadeiras e outros artigos OK! Perguntou o magistrado.
- Meritíssimo, na verdade eu queria comprar e não roubar. Como eu não dispunha do dinheiro para comprar a mercadoria... Aí o senhor já sabe o final da história. Justificou o réu.
 - Meu amigo, você é um rapaz jovem cheio de vida. Você tinha um belo futuro pela frente. Você não pensou na sua família não.
- Seu juiz, eu até que pensei na mulher e nos garotos. Dei uma olhada ligeira por ali e não encontrei secador de cabelos e nem vídeo game, aí só levei esses bagulhos que o senhor falou aí.

Edilson Rodrigues Silva



Para a eternidade – Textos de humor pequenos e divertidos













- O senhor está ciente do crime que o senhor cometeu. Perguntou o juiz.
- Sim senhor! Se eu pudesse voltar no tempo eu não teria feito uma bobagem dessas. Comentou o preso.
- Então o senhor está arrependido?
- Profundamente meritíssimo!
- E porque o senhor não devolve o relógio de ouro que o senhor roubou da Dona Marilda? Perguntou o juiz.
- Porque dentro do relógio está escrito “eternamente seu”

Edilson Rodrigues Silva

A arte de ouvir – Textos curtos e engraçados
















- Pois não! Podem falar a vontade. Estou pronto a ouvir todos. Fale um de cada vez ok?
E então! Ninguém tem nada a reclamar. Ninguém vai reclamar da comida, do banheiro, dos colchões. A hora de falar é agora. Depois não aceitarei mais reclamações ok! Falou com firmeza o diretor.
Nisso um dos homens encheu-se de coragem e começou a falar:
- Senhor! Eu e os meus colegas estamos achando que esse edifício foi muito mal planejado. Comentou o homem.
- Mal planejado! Por que os senhores acham isso? Perguntou o diretor.
- Olha só: nesse presídio não há mangueiras contra incêndio, as celas são um forno e, principalmente, um verdadeiro absurdo: depois de procurarmos por todos os lados, o senhor acredita que não encontramos nenhuma saída de emergência.

Edilson Rodrigues Silva



Humm! Estranho! – Textos de humor pequenos e engraçados


- Senhor, algo de muito estranho está acontecendo aqui. Há dois dias eu deixei o meu desodorante em cima da cama e quando eu fui pegá-lo ele tinha sumido. Ontem eu deixei as minhas meias no banheiro e elas também sumiram. Estou com uma sensação estranha. Isso está me incomodando demais. Disse o detento.
- Sensação estranha! Qual? Perguntou o agente penitenciário.
- Acho que há ladrões aqui.

Edilson Rodrigues Silva

Culpado ou inocente – Textos humorísticos curtos e engraçados


- Ok! Vamos ter que ter muita calma e paciência. 
Esse processo da joalheria será exaustivo e muito demorado. Estamos lidando com gente graúda. É muito importante que comecemos falando somente a verdade. Você é inocente ou culpado? Perguntou o advogado.
- Inocente doutor! Que pergunta. É claro que sou inocente. Respondeu o preso.
- Ótimo! Começamos muito bem. Quanto aos meus honorários, eu gostaria de informar ao senhor que, agora, no inicio do processo o valor fica em aproximadamente R$ 5.000,00. O senhor tem dinheiro para me pagar? Perguntou o advogado.
- Dinheiro não. Mas tenho relógios, colares, pulseiras...

Edilson Rodrigues Silva

O último desejo – Textos de humor curtos


Depois de intensa e exaustiva disputa judicial o réu acabou sendo condenado a pena capital.
- Muito bem! Qual é o seu último desejo? Perguntou o diretor do presídio.
- Seu diretor eu gostaria de assistir o homem chegar ao planeta marte. Respondeu o preso.
- Infelizmente isso não será possível. Você tem outro pedido? Disse o diretor.
- Então eu quero assistir o Corinthians ser bi-campeão da taça libertadores da América.
- OK!...Vamos analisar o primeiro desejo. 

Edilson Rodrigues Silva

Roubo na escola – Textos pequenos e divertidos


- Você é o garoto que foi roubado?  Perguntou o agente da lei.
- Sim senhor. Fui eu mesmo. Respondeu o garotinho.
- E o que foi que o ladrão roubou de você meu jovem?
- O meu pão.
- Ele estava sozinho? Perguntou o policial.
- Não! Ele estava com salame.

 Edilson Rodrigues Silva

O que eu posso fazer pelo senhor – Textos pequenos e divertidos


Um paciente chegou a clinica psiquiátrica vestindo o uniforme do Santos Futebol Clube, calçando chuteiras cor de rosa, cabelo com corte moicano parecendo um mico leão dourado...
- Muito bem! O que eu posso fazer pelo senhor? Perguntou o médico.
- Por mim doutor? Por mim nada. Eu estou ótimo. Na verdade eu estou na melhor fase da minha vida. Tô batendo um bolão. Tô em todas as paradas. Tá chovendo mulher na minha área... O problema é a minha mulher.
- Humm! Com a sua esposa? interessante! Fale-me mais. Disse o interessado médico.
- O senhor acredita que a maluca está pensando que é a Gisele Bündchen.

Edilson Rodrigues Silva

Garotada! Hoje, aula só com computadores – Texto pequeno e engraçado


- Pessoal! Quero ver todo mundo feliz e motivado valeu! Hoje, nós só teremos aula com computadores e com vídeo games. Disse o professor todo animado.

- Puxa vida! Legal! Dá hora! Exclamou a garotada toda feliz.

- Beleza pessoalll! Então vamos lá galeraaaaa:

1 – Eu tenho 35 computadores e 21 vídeos games. Quanto eu tenho que dar para cada aluno de maneira que todos ganhem a mesma quantidade de equipamentos.

 2 – Maria tem 150 computadores e ela ganhou mais 38. Depois ela teve que  vender 77. Com quantos computadores Maria ficou?

3 – Bruno adora vídeo games. Ele gosta tanto que ele tem 72 aparelhos. Se ele fosse dividir de maneira igual com os oito primos dele, quantos vídeos games ele daria para cada um dos primos?


Edilson Rodrigues Silva

Na Vinte e Cinco de Março: Textos curtos e engraçados



















- Vem cá princesa linda!...Olha o creme!...Olha o creme para rugas!...Olha lá minha senhora!...Olha lá minha princesa!...Esse creme é barato!...Esse creme é uma beleza!...Gritava o camelô.
- Moço, esse creme é bom mesmo? Perguntou a mulher.
- Bom?...Não. Minha senhora, esse creme é espetacular! Esse é o melhor creme já inventado aqui Brasil. Ele foi especialmente desenvolvido com cinco ervas da floresta amazônica. É a última palavra em combate as rugas e aos sinais de envelhecimento precoce.
- Cinco ervas do Brasil? Quais?
- Tem... Deixa eu ver aqui... Tem... Ginseng... Ginkgo biloba...

Edilson Rodrigues Silva

Dando uma mãozinha – Cronicas engraçadas















Como ele fazia todas as manhãs, ele foi até a padaria pegou um pão com manteiga, um copo de café com leite, saiu da panificadora e foi até a banca de jornal ao lado para dar uma conferida nas noticias do dia.
Ele comeu o pão. Tomou o café, e continuou ali dando uma olhadinha nas revistas.

Ao dar uma olhada para o outro lado da rua ele observou que havia um rapaz que estava com uma dificuldade incrível para empurrar o carro dele que havia quebrado.
Enquanto ele ainda olhava a situação, o rapaz que estava empurrando o veículo aproveitou a oportunidade e disse:

- E aí Campeão! Beleza? Tem a moral de dar uma força aqui meu camarada?

Ele, como bom cristão, um homem de bem e de excelente coração, sempre pronto a ajudar o próximo, mesmo que o próximo não seja tão próximo assim, já que o rapaz do carro estava justamente vestindo uma camisa do Corinthians, sendo que ele é santista roxo, quer dizer, agora azul celeste. Mas tudo bem. Diante do educado pedido do rapaz, meio a contra gosto, ele resolveu ajudar.

Lá foi ele ajudar a empurrar o possante. E que possante. Na verdade era um carrão da hora. Era um carro esportivo, cor azul metálico e com teto solar. Era um veículo muito legal.

Depois que ele ajudou a empurrar o veículo por mais ou menos uns cem metros o corintiano entrou no carro, deu a partida e depois deu a mão para ele e o agradeceu:

- Aí meu Brodér firmeza! Valeu mesmo campeão! Obrigado aí pela força meu camarada. O carango agora tá super legal. Tô saindo fora. Valeu!

O rapaz do carro foi embora e ele ficou ali curtindo aquele sentimento lindo e nobre que é característico daqueles que sabem o que é praticar uma boa ação completamente desinteressada e somente com o propósito de ajudar o próximo, principalmente, nesse mundo maluco em que nós vivemos hoje, um mundo confuso e que não se pode confiar em mais ninguém. Pensou ele.

Enfim, ele estava muito contente e bastante orgulhoso dele mesmo.

Enquanto ele ainda estava se sentindo como o mais altruísta, iluminado e generoso dos homens, eis que surge um homem não se sabe de onde, todo desesperado, sem camisa e só com a calça do pijama. O cara estava todo descabelado e com a cara mais amassada que camisa de algodão depois da lavagem, muito ofegante e visivelmente nervoso. O homem foi logo perguntando:

- Amigo! Por acaso você viu se passou por aqui um caro azul. É um carro esportivo com teto solar... O meu vizinho acabou de me dizer que ele foi roubado... Você viu alguma coisa? Perguntou o desesperado homem.


Edilson Rodrigues Silva

Ano novo. Novas atitudes! – Postagens engraçadas


Meus queridos amigos e amigas,

Até que enfim esse ano está indo embora. Agora já estamos vislumbrando o maravilhoso e esperançoso amanhã que esse espetacular ano novo nos reserva.
Viva as nossas esperanças que, agora mais renovadas que carro zero em concessionária, estão mais firmes que nunca. Hoje estamos muito confiantes de que vivenciaremos um ano repleto de muita saúde, paz, felicidade e extrema prosperidade.

Bem galera! Por falar em prosperidade eu gostaria muito de aproveitar essa oportunidade para dar uma pequena dica para os queridos amigos e amigas:

Queridos, eu sei que vocês me amam. Eu sei que vocês me adoram, mas as correntes que vocês, carinhosamente, me enviaram durante o ano passado, e que prometiam me dar paz, fortuna, dinheiro e mundos e fundos... É com o coração mergulhado em profunda angustia que sou obrigado a lhes informar:

NENHUMA DROGA DAQUELAS FUNCIONOU!...
ENTENDERAM? N-Ã-O -  F-U-N-C-I-O-N-O-U!

Portanto, meus amados e queridos amigos, eu singelamente sugiro que nesse maravilhoso ano novo que agora se desabrocha, façamos a coisa de uma maneira levemente diferente:

Mandem o dinheiro diretamente para mim!  Como? É muito simples meus queridos! Participem da minha mais nova campanha:

Para doar R$ 7,00 - Ligue no meu Celular
Para doar R$ 15,00 - Ligue no meu Fixo
Para doar R$ 40,00 - É só me avisar que eu mesmo vou buscar.

Para doar valores maiores eu busco a qualquer hora e em qualquer lugar. De dia, de noite, de madrugada, com neve, geada, tornado e até furacão, furacão?... Isso mesmo.  Até com furacão. O que agente não faz para agradar um amigo.

Depois de refletir durante semanas, meio a contra gosto, resolvi também aceitar doações dos camaradas do exterior. Por isso, meus amados amigos não se acanhem: hablo espanhol, I speak english, je parle français, io parlo italiano, Ich spilen deutch, arranho no árabe e até me aventuro no mandarim

Ah! Aceito Euro e Dólar. Queridos! Por favor, pesos nem pensar. Já bastam os meus... Francamente!

Seja um amigo de verdade e participe do meu mais novo projeto: Amigo esperança!

Conto com vocês!


Edilson Rodrigues Silva - Adaptado da internet

Peguemos sim! – Textos pequenos e engraçados



Segunda feira, na firma, depois da pescaria do final de semana.
- E aí Joel! Como é que foi a pescaria? Perguntou o colega de trabalho.
- Foi legal! Quer dizer mais ou menos. Respondeu o conformado Joel.
- Mais ou menos! Não falei pra vocês que esse negócio de pescar no tempo frio é uma gelada. Mas diz aí: vocês conseguiram pegar alguma coisa? Perguntou o colega de trabalho.
- Peguemos sim. Respondeu o Joel.
- Pegaram o quê? Traíra, pintado, dourado ou daqueles lambarizinhos que nem dá pra pegar com o garfo. Brincou o colega de trabalho.
- Não! Nós peguemos outras coisas?
- Outras coisas! O quê? Foi um dourado. Não acredito! Aposto que foi piranha.
- Não foi nada disso. Disse o Joel.
- Arre égua! Então desembucha logo homem. Afinal de contas o que é que vocês pegaram? Perguntou o colega de trabalho.
- Eu peguei uma gripe danada e o Nicanor pegou um principio de pneumonia. Falou o Joel.

Edilson Rodrigues Silva

Que confusão é essa? – Textos curtos e engraçados


Era para ser somente mais um dia surpreendente e emocionante onde ela ia comer aquele macarrão com frango que a mãe dela sempre fazia aos domingos. Assim que ela desceu do ônibus ela logo notou um clima diferente na vila, algo não estava normal. Pensou ela.

À medida que ela foi se aproximando da casa da mãe, ela observou que a rua vizinha estava interditada. A passagem estava impedida por aquela faixa preta e amarela e o povão estava todo aglomerado ali. Estava mais que claro que naquela rua estava acontecendo algo muito estranho.

A agitação era enorme. Uma confusão danada. Estavam ali vários carros do corpo de bombeiros e muitos soldados. O alvoroço era tremendo. Bombeiros, populares: todos muito agitados. Todos falavam ao mesmo tempo e ela, curiosa que ela só, por mais que tentasse, acabou não conseguindo entender nada do que estava acontecendo ali.
- Moço o que é que está acontecendo aí. Perguntou ela para o homem que estava logo a frente dela.

- Dona! Eu não tenho certeza, parece que é negócio de acidente de trânsito, coisa com motoqueiro. A senhora sabe como eles são abusados. Respondeu o cidadão.

- Eu acho que é principio de incêndio ou vazamento de gás. Geralmente quando vem esse monte de bombeiros é alguma coisa séria. Comentou uma mulher que estava ali ao lado.

- Não é nada disso. Essa muvuca toda só está acontecendo porque o Neymar subiu na árvore. Disse uma menina que estava ali acompanhando tudo.

- Neymar! Exclamou surpresa a moça que estava ali para visitar a mãe. Neymar? Na árvore? Será que ele está pensando que é um pica pau? Isso é culpa do topete. Será que ele está triste e deprimido porque ele não foi para a Europa? Será que ele está querendo por fim em tudo. Neymar! Neymar! Não pula Neymar! Pense no Davi Luccas! Eu também te adoro. Eu te amooooo meu amorrrrrrr! Ela deu um gritou bem alto e forte com intuito de fazer com que o craque deixasse pra lá esse negócio de dar cabo de tudo.

- Aí moça! Que exagero! Para de gritar assim no meu ouvido. Eu heim! Olha aqui sua destrambelhada, não é nada disso que você está pensando não. O Neymar que eu estou falando é o gatinho da minha amiga Marina. Ele subiu na árvore e depois ele não conseguiu descer mais... Eu heim! É cada uma que me aparece. Comentou indignada a adolescente.

- Um gatinho daqueles cheios de pulga e pêlos? Não é o fofo do Neymar?...Meio frustrada a moça não quis saber mais daquela agitação toda e resolveu seguir o caminho dela em direção à casa da mãe.

Edilson Rodrigues Silva

COMO SER FELIZ

MENSAGENS DE ANIVERSÁRIO

CRONICAS MAIS POPULARES

Translate

CURSOS GRATUITOS